http://comandoestelar.zip.net/

segunda-feira, 19 de março de 2012

CONHECIMENTO DO PRINCÍPIO DAS COISA


                                         
    Como pode o homem conhecer o princípio das coisas? O que é o princípio? O que existia no começo de tudo? Essas, são questões que todo bom questionador certamente já se fez! E mais, poderia o homem terreno compreendê-las perfeitamente aqui na Terra? Ao ser humano,  foi-lhe dado meios de evoluir, todavia, por vontade do Creador, estes meios, chamados faculdades, são limitados, pois limitada é sua constituição biológica e espiritual!
     Tudo tem seu tempo, e dentro da nossa tridimensionalidade específica, toda evolução está inserida dentro da linha do tempo! Importante destacar, que o tempo é apenas uma das dimensões que compõem o nosso Universo junto com o Espaço! O nosso tempo é cronológico e psicológico, tempo é uma medida  determinada pelo espaço que uma “coisa”  percorreu num determinado período, por isso mesmo, Espaço-Tempo formam uma dimensão unificada. O homem possui uma faculdade essencial no seu processo evolutivo – a Inteligência. Ela progride a medida que o Ser vai passando por experiências e desafios, onde é obrigado através da racionalidade desenvolver pensamentos, investigar seu meio(físico, geográfico, humano, metafísico, etc) e construir modelos racionais para compreender algumas Leis da Natureza. Porém, quis a Divindade, que este Ser não atingisse a Plenitude através de um mecanismo secundário, e que essa Plenitude na verdade já se encontraria em potencial dentro de sua Essência. A Intuição!
      Mas porque será que a Inteligência é secundário no Homem? Como muito bem explicitado em O Livro dos Espíritos, Os seres Superiores afirmam à Kardec que a Inteligência é um atributo do Espírito, o que ontologicamente,  significa que ela não é causa, mas efeito!  Atributos, temos vários e de variados tipos, a Inteligência é só mais um, tudo bem que talvez seja até o mais importante, temporariamente. Analisemos – nossa racionalidade é uma composição da nossa subjetividade como SER, e objetividade de nosso intelecto, todavia, nossa apreensão da Realidade, é feita através dos nossos 5 sentidos físicos – visão, audição, olfato, tato, paladar (acrescentemos a linguagem). Além de serem sentidos físicos, eles são resultados do nosso EGO, somente a Intuição é filha do EU, o ego é enganador, é ilusão, o EU é a impressão da Divindade em nós, é onde ELE depositou sua Luz, por isso é real, verdadeiro. Além disso temos o que chamamos de Consciência, ela é subjetiva,  é um depósito de conceitos e impressões, assim, também através dela, temos uma noção de realidade super limitada, por um axioma simples – Como reduzir o Infinito( a Divindade) dentro de um depósito finito( nós)? É  matematicamente impossível, simplesmente não dá. Aceitemos, a nossa Mente é assassina do Real, já diz há centenas de anos, o Budismo Tibetano.(http://unidadeinterdimensional.blogspot.com.br/2010/09/questao-do-passadofuturo.html)
         Em O Livro dos Espíritos, a Espiritualidade Superior, dividiu a criação em duas: espírito e matéria. Temos que ter em conta a linguagem e conhecimento científico da época, há mais de 150 anos atrás. Hoje, através principalmente da Física Moderna e das Teorias Quânticas, o homem já aprendeu que na verdade as duas são dois lados da mesma coisa, tudo é energia no Universo, o que muda é seu estado, podendo ser material ou não! Por isso no Gênesis temos a afirmação que a Primeira criação Divina foi a LUZ – só que esta luz, não é a mesma que conhecemos, daquela natureza dual, ora ondas, ora corpuscular! Essa LUZ tem uma natureza que desconhecemos, porque é Natureza do Creador, é sua essência, assim, não temos como estudá-la em laboratório. Ainda não!  E o Homem só pode começar a conceber a Natureza do Creador, seus mistérios e desígnios, se estiver unificado ao PAI. E isto só é possível se ele for capaz de entrar em ressonância com o Mesmo, no que Huberto Rohden vai chamar de “elevar” sua consciência para a Dimensão ZERO! Ou seja, sair da tridimensionalidade, não estar mais limitados pelo corpo físico, nem pelos atributos do Espírito, mas atingir o que os antigos Orientais denominaram NIRVANA. Significa estar fora de qualquer dimensão material ou espiritual, lá não existe passado nem futuro, tudo é presente. Não há palavras nem conceitos para representar este estado, é ser o que é, atingir nossa essência espiritual, nosso verdadeiro EU.
     Jesus afirmava: Eu e o Pai somos UM. Não no sentido que eram a mesma pessoa, mas que estavam na mesma sintonia, representavam a mesma coisa, Jesus era Unificado ao Pai, mesmo com os limites impostos pelo corpo Físico, por isso expandia de uma maneira absurda e inconcebível ao homem, a sua Consciência, atingindo a Dimensão ZERO, assim, ele podia falar sobre o Reino dos Céus, que em verdade está dentro do Homem e não fora dele. E falava sobre as “coisas” de Deus, pois que ele SENTIA, e não era através dos sentidos físicos! A intuição é nossa única segurança de atingirmos a Divindade, de preenchermos nosso Espírito com  a “Força da Luz”, ou o "Fogo Divino", e isso só é possível através da prática da COSMOMEDITAÇÃO!
( http://unidadeinterdimensional.blogspot.com.br/2010/09/questao-da-dualidade.html)

                                             PAX E LUX a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo e obrigado!